Arquivo da tag: Griffith

96- O Abraço

griffo

Quantos anos de amizade, Griffo? Quatro, cinco, seis?

Entra ano, sai ano e a gente tá sempre junto.
Não importa tempestade, distância, tempo ou contratempo. A verdade é que a gente se entende e está sempre sorridente.

Te amo, meu amigo!
Esse seu abraço vale ouro!

Ps: Sem vergonha! Hahaha…* (*Orkut)

Anúncios

71- Guira In Sampa, Rong He, Happy Griffirthday & AF2008

Fim de semana fantástico com meu amigo aniversariante Griffith e o pequeno gigante Jun, com direito a almoço no Rong He e participação mais que especial do Guira, o famoso Guilherme Pereira… Sim, sim, aquele mesmo que subiu na bananeira…

O Guira como sempre voando por São Paulo, sempre muito programado, sempre muito apressado.
Dessa vez, ele nos apresentou a sua amiga carioca, a que ele conheceu no intercâmbio cultural. Gente finíssima, super culta.

Ele reservou uma boa parte da sua agenda pra nós.
Deu pra botar o papo em dia, filar uma bóia tipicamente chinesa e acompanhá-lo até aqui a Parada Inglesa, conversando sobre nossas experiências no exterior e fuçando naquele brinquedinho magnífico que é o I-Phone. (D+ aquele sistema para escolher os álbuns de mp3!)

Deu pra botar o papo em dia, mas não deu pra matar a saudade.
Ele perguntou sobre o Juninho e mandou lembranças até pra Aninha.
Disse que volta em época de Bienal ainda esse ano. Talvez ele participe do Encontrão. O Griff disse que ia agitar uma balada… Eu me ofereci para levá-lo à Sala SP…

Acabei tendo que voltar mais cedo. Pelo menos mais cedo do que eu eu esperava.
Celular morreu, não consegui me comunicar com meus amigos tripulantes que iam se encontrar nesse domingão. (Camilinha, a gente ainda vai se ver!)

Griffith tá mais velho!
O guri fez aniversário e eu que ganhei os presentes! Ele me trouxe alguns gorrinhos de Buenos Aires e AQUELES alfajores! (Obrigadoooooooo, Griffo.)

Nos divertimos até cansar lá na AF.

Encontramos Berr & Nadete lá nos galpões do Mart Center.
As duas gurias me assediaram:

Não consegui ir no Festival do Japão lá no Jabaquara, mas consegui pegar uma sessão do novo Batman.
Ótimo filme, mas um pouco cansativo.
O Coringa é o personagem mais fodástico desses novos filmes do Batman. Adorei as gargalhadas, os trejeitos, as manias. Figuraça.

Fim de semana cheio de momentos maravilhosos, como a sessão introspectiva lá no Itiriki antes de encontramos o Guira, o passeio de carro ao som de Utada…

Felicidades, Griffo! Tu sabes o quanto és querido.
Obrigado, Jun! Pelo convite, pelas lágrimas, pela terapia…
Maluquetes Berr & Nadete! Seus malucos de pedra! Mandem abraços pro Eidi, o único “normal” do grupo! Hehehe…
Boa viagem, Guira! Bacana demais te rever.
Prazer em conhecê-la, Paty!

Ps: Sae, te liguei, te liguei, te procurei, te procurei e nada…

47- Tigarah, Dia 2

O segundo dia começou bem cedo, quase de madrugada.
A imagem da senhorita tigresa distribuindo bottons para seus fãs ainda circulava em meus pensamentos.

Pulei da cama com um plano: um projeto de último momento.
Eu podia vê-lo pronto na minha mente. Ficaria legal, mas tomaria muito tempo…
Eu precisava pelo menos tentar…

Rapidamente comecei a rabiscar algumas folhas, desenhar algumas idéias e muitas horas depois consegui criar a capa do cartão que eu entregaria pra Yuko-chan como forma de agradecimento.

A idéia era fazer uma japa-baiana com kimono e turbante à la Carmem Miranda na cabeça, pra celebrar essa fusão do Brasil-Japão.

Decorei o kimono com motivos da bandeira dos dois países e preenchi todo o espaço em volta com traços abstratos.

Quando fui assinar Tigarah, comecei a fazê-lo em hiraganá e depois passei pro katakaná! Não sei o que houve comigo!
Sim, eu havia errado e não daria pra recomeçar! Nomes estrangeiros são sempre escritos em katakaná, mas não havia tempo pra consertos! Era consertar e perder o concerto.

Tentei imaginar uma explicação. A única que encontrei foi que esse “Ti” poderia remeter a “Tiisai” ou “Chiisai”, pequenina.
É, pequena tigresa até que tem a ver. A Yuko-chan é pequenina, mas poderosa!
Assinei meu nome, anotei e-mail, site, MSN…

A parte de dentro foi um pouquinho mais complicada.
Queria transcrever a letra de uma música dela em japonês.
Pra mim, não há coisa mais gostosa do que escrever em japonês.
Escolhi Girl Fight!

A carta (tegami), eu iria escrever em inglês.
Já tinha até começado a escrevê-la, mas foi quando meu amigo Storm!, que mora no Japão, apareceu no MSN…
Não pensei duas vezes, perguntei se ele topava me ajudar na tradução da carta pro idioma japonês e ele me ajudou sem pestanejar. Traduziu tudo sozinho. Valeu, Storm!

ユウコさん へ

私、ジョンと申します。ブラジルにようこそ!

あなたに会えてそして、コンサートに行ったことを一生忘れられない出来事です。本当に幸せでした!
私はイラストレーターですので、ユウコさんのアルバムのカバーアートを是非!っと本気で書きたいと思います。
ユウコさんの曲を毎日聴きたり、パソコンでリミックスしたり、いつか一緒に歌えるように夢でもみています。
日本語あんまりわからないので、日本にいる友達に頼まれて、この手紙をかいています。すみません!近いうちに日本に行けるため、日本語の勉強をしています。

ユウコさん日本に帰ったら、メールのやりとりしましょう!コンサートで歌った新曲も送ってください!おねがいします!

これからも頑張ってください!

応援しています!

ジョンより

O conteúdo da carta ficaria mais ou menos assim em português:

Yuko Takabatake

Eu sou o John.
Muito prazer em conhecê-la.
Seja bem-vinda ao Brasil.

Eu quero dizer que adoro o seu trabalho e que estou muito feliz em poder ver seus shows.
Sou ilustrador e gostaria de poder criar um desenho para a capa do seu álbum.

Eu também gosto de remixar suas músicas e gostaria muito de algum dia poder cantar com vc.

Espero um dia ir para o Japão, por isso estudo um pouco. Mas não consigo escrever tão bem assim, meu amigo no Japão, Kaminishi, está me ajudando com este texto.

Gostaria muito que vc me mandasse um e-mail pessoal para mantêrmos contato.

Por favor, me envie as músicas novas que vc cantou no show.

Sucesso,

João.

Eu estava atrasadíssimo.
Não esperei nem a tinta secar. Bati algumas fotos, botei o dito cujo dentro de um plástico transparente e voei pro Sesc.

Cheguei lá e acampei no 5º andar.
Aqueles monitores e produtores maravilhosos do Sesc que já viam em mim alguém familiar, permitiram novamente que eu ficasse por lá durante a passagem de som.

Bah, mal pude acreditar na hora que vi a Tigarah, pois quando ela sobe ao palco, não há nem vestígio da Yuko-chan. Ela se transforma, ganha poderes!
A Tigarah tava com aquele seu uniforme brasileiro verde-amarelo curtíssimo. Estava linda!
Assim que me viu, me cumprimentou, passou umas três músicas com o DJ Yugo pra testar o som e poucos minutos antes de liberarem o público, me chamou lá no camarim.
Pude finalmente entregar o cartão.

Só quem viu e ouviu ela falando português pode entender o quão simpática ela é.
Deu-me um abraço e me beijou de novo, agradeceu, disse que o desenho era kawaii, passava a mão em cima dos ideogramas e não conseguia acreditar que eu tinha feito tudo aquilo em tão pouco tempo.
Eu disse que tive ajuda do amigo Storm! através do Messenger e ela quis saber todos os detalhes.
Falei sobre meu interesse em ilustrar algum futuro projeto dela. Capas para cd, logos para T-shirts, esse tipo de coisa.
Agradeceu-me em japonês, fazendo aquela típica reverência e eu fiquei muito encabulado.
Foi uma batalha de agradecimentos.
Ela me agradecia pelo carinho, eu a agradecia pela simpatia, pela paciência.

Sai do camarim meio atordoado.
O povo já havia dominado os melhores lugares do palco.
Contentei-me com o que havia sobrado.

De repente, começa a chover conhecidos: Griffith, Jun, Ber, Cauuuuuuuuuuuuu!!!
Pirei! Pirei!
Não conseguia me conter de tanta felicidade.

O segundo show foi mais poderoso ainda que o primeiro.

A japa já estava bem familiarizada com o palco, com aquele público aos seus pés.
O som estava muito mais nítido, assim como a voz estava mais alta.

Dessa vez tinha muita gente pra dançar comigo. A festa foi geral.

Eu acabei esquecendo de tirar fotos de novo. Não tem jeito. Eu realmente mergulho de cabeça e se não fosse o Griffith filmar e fotografar, eu teria apenas uma ou duas fotos desse show.

Mesmo tendo consciência de que eu deveria aproveitar cada segundo, o show voou mais uma vez.
Quando estávamos pegando fogo, já era hora do Bis.

A japa foi ovacionada.
Rapidamente ela deixou o palco, deu a volta pelo camarim e apareceu no meio da galera pra entregar os bottons!

Que carisma!
Era impossível resistir àqueles olhos doces e aquele sorriso brasileiro.
A japa mais uma vez se mostrou atenciosa com todos os tipos de fãs: dos mais comportados aos mais escalafobéticos. Posou para todas as câmeras, abraçou todos os fãs, deu todos os autógrafos possíveis, conversou, distribuiu mais bottons e se despediu.

Até o Criko eu encontrei por lá.

Fui apertar sua mão para me despedir e ela me puxou pra um último abraço.

Disse-lhe apenas “Mata ashita” (até amanhã) e ela arregalou os olhos surpreendida:
-Ashita mo? (vc vem amanhã tb?)
-Of course! – respondi!

A noite acabou mais uma vez no restaurante italiano. Dessa vez nada de panquecas, eu fui de Zucotto e o Mr. Ber de torta de limão.
Discutimos os dois shows e ficamos imaginando como seria o último dia.
Mais uma vez quase perdi o horário do último metrô!

Continua…

7- Despedida Americana

Encontrei uma parte da turminha na frente do America Alamedas.
Estava um pouco nervoso, não tenho o hábito de promover despedidas, ainda mais quando se trata da minha despedida.

Ao entrarmos no America, identifiquei-me na recepção. Estava tudo reservado. Atendimento nota dez.
Fomos levados até o salão principal e para meu desespero, uma mesa initerrupta se ampliou na minha frente. Os caras do restaurante haviam reservado o melhor lugar da casa, de frente para a fonte da Fnac na Alameda Santos. A sensação era de que na mesa havia umas 50 cadeiras…
Pensei comigo: “Puxa! Nem fudendo que a gente vai ocupar todas essas cadeiras!”… Comecei a surtar em silêncio: “Caraca, acho que vou pedir pra tirar umas duas ou três mesas, vai sobrar muitos lugares, os garçons irão me matar”…

Foi só o tempo de ir ao toilet jogar uma água no rosto e quando eu voltei, a maior parte da turma já havia chegado.

Rapidamente aquela mesona silenciosa se encheu de amigos, de cores e de barulhinho bom.
Por mais que todos estivessem por lá, ainda chegavam convidados.
Sentei-me estrategicamente na cadeira do centro da mesa, fiquei exatamente no meio do bate-papo. Acho que consegui dar atenção a todos…

Obentou, Edum, Junin, Tio, Leone, Fera, Griffo, Jun, Fumiko, Fran, Cau, Madá, Geladeira, Kurenaida, Chaos, Aqua, Aninha, Schmerz, Paloma, Ed Bichoooooooooo e até mesmo um Mu de Áries que caiu de pára-quedas e ficou com a gente até o fim!

Que noite mais agradável!
A conversa não parava um segundo. Era papo pra lá, papo pra cá.

Não dava pra acreditar que eu havia conseguido reunir tanta gente querida naquele lugar especial.

Eu sou caipira de restaurante chique… Conseguir marcar uma parada dessas foi mais um grande desbloqueio.
Claro que grande parte do mérito desse desbloqueio se deve à Thais, que foi comigo fazer a reserva. Sem ela, nada disso teria acontecido, pelo menos não ali no America.

A lembrança dessa noite, a cara de cada amigo, os papos, as risadas, o lugar, tudo vai estar gravado no fundo do meu coração. Essa noite vai ser muito útil nos momentos de solidão lá no navio. Quando a saudades bater, quando o desespero invadir, basta apenas me lembrar daquela mesa vazia e de como ela se encheu rapidamente.

Juntar Obentou com Griffo, Fumiko com Tio, Madá com Fera, Jun com Paloma, Cau com Edum, Kurenaida com Geladeira, Aninha com Aqua… Eu acho que essa é uma das melhores formas de manter acesa a chama da amizade. É compartilhar amigos de uma determinada dimensão com amigos de outra. A beleza das coisas está nos seus extremos, na variedade. E eu adoro juntar meus amigos nerds com os amigos da facul, os amigos da Outerspace com os amigos da rua, os quietinhos com os bagunceiros, os mais novos com os mais velhos…

Tudo estava muito bom, tudo estava muito bem, mas saco de batatas não fica em pé vazio. Os cardápios chegaram e então o povo se perdeu com a variedade de delícias. Eu não consegui fugir do convencional, fui de Texas novamente…

Grandes pratos, hambúrgueres de picanha que derretem na boca, saladas delicadas e o melhor aperitivo do mundo: onion rings (que todo mundo aprovou).
O povo se surpreendeu com o cardápio exclusivo de sobremesas, mas eu já os havia alertado para esse crime gastronômico… Hehehehe…

Acabamos esticando o papo até ás altas horas da noite. O povo queria saber da vida a bordo, dos assuntos discutidos no treinamento da marinha, da companhia… E esse papo é sempre muito interessante, ou seja, o tempo voou.
Não deixei ninguém ir embora sem antes assinar meu caderno e deixar seus endereços para que eu possa enviar postais das cidades por onde passar. Prometi que, como os amigos são muitos e as cidades por onde passarei também são, mandarei os postais numa ordem de revezamento. Æ, cabe aos amigos marcarem um encontro pra compartilharem seus diferentes postais uns com os outros.

Faltando pouco para meia-noite, tiramos a saídera (fotograficamente falando – nada de alcoolismos) e corremos para pegar o último metrô.

Sem palavras para expressar o quanto essa despedida foi especial e importante.
Fala sério! João Elias de Brito sem palavras?
Tenho algumas exclusivas:

Ps01: Obentou, sei que já estava de pé desde cedo, e sei também que ficaria acordado até a madrugada para me prestigiar! Até quinta!
Ps02: Edum, pontualidade britânica! Em tão pouco tempo, tanta demonstração de amizade. Por favor, continue encontrando esses meus camaradas.
Ps03: Junin, sempre presente! É isso que eu admiro demais em vc! Quando estiver lá no navio, vou me basear muito nessa sua virtude.
Ps04: Tio, vai ser duro ficar longe de vc! Aprendi muito apenas te observando, guri! Vc vai junto comigo no meu coração!
Ps05: Leone, eu nem prestigiei seu artigo e muito menos folheei como deveria o Guia do Galaxy. Vc sabe que eu fico todo perdido nesses encontros, né? Por favor, compenso no feriado!
Ps06: Fera, sem vc não tem graça. Vc é o sorriso dos encontros!
Ps07: Griffo, vc ficou um tempão! Eu quase não acreditei! Vc sabe o quanto é querido! Saudades desde já…
Ps08: Jun, pegueno gigante! Vc estava impossivelmente divertido. É esse Jun que eu descobri lá no AF e que me encantou e encanta a todos! Espero que tenha curtido o “Procissâo”, ele é presente do Griffo para vc!
Ps09: Fumiko, sei o quanto foi difícil vc estar ali, mas não há preço que pague ter sua companhia nessa noite tão importante.
Ps10: Fran, cuida da mãe e estuda bastante!
Ps11: Cau, a minha fada madrinha! – Foi a Cau que me indicou o trampo no navio! – Nos encontramos na Noruega!
Ps12: Madá, vc é aquela figurinha premiada, parte integrante do meu álbum da vida. Passa ano, sai ano e vc está sempre me apoiando em tudo o que eu faça! Te amo!
Ps13: Geladeira, sua presença ali, mesmo que no cantinho da mesa é de uma importância tamanha. É bom demais compartilhá-lo com meus outros amigos. Vc é um cara famoso! Hehehehe…
Ps14: Kurenaida, nem preciso falar muito, senão vou ser injusto com os outros. Não pensei que vc estaria em Sampa, foi bom demais tê-lo lá. Nos encontramos em Recife, Ilhéus, Salvador, Rio de Janeiro ou Imbituba, ok?
Ps15: Chaos, grande honra ter sua presença na minha despedida. Te encontro lá pela Europa no seu mochilão?
Ps16: Aqua, outra ilustríssima presença. Uma pena a Carlinha não ter podido te acompanhar, mas recebo os cumprimentos dela e retribuo-os. Vai juntando uma graninha que eu vou ver o desconto lá pra os cruzeiros…
Ps17: Aninha, não resisti sua beleza e a coloquei em evidência vertical. Sabia que vc não perderia essa por nada, mas é tão mais legal saber por vc. Vai ser duro ficar sem nossas tardes de sábado. Mantenha o rosa do Ds sempre rosa!
Ps18: Schmerz, o cara que mais me conhece! Te amo, guri!
Ps19: Paloma, cuida direitinho do meu amigão, tá? E quando eu voltar a gente faz aquele jantarzinho, sim!!! Felicidades em Abril, guria!
Ps20: Ed, vc veioooooooooooooooo… O Anjim tinha encontrado vc no fórum e me disse que provavelmente vc não iria. Tinha perdido as esperanças… mandei e-mail, torpedo e nada… Fiquei muuuuuuuuuito feliz de ver vc lá… Fica com Deus, Bicho. E quando eu voltar, quero ver como ficou o “apartamentoso”!
Ps21: Mu “Hemodiálise”, meu amigo com problema nos rins, amei sua passadinha definitiva! Ficou com a gente até o final! Pode deixar, vou aproveitar, vou estudar e me divertir como nunca! E torce pra eu encontrar a minha islandeusa perdida lá na Europa! Hehehe…

A todos os meus amigos, o meu mais verdadeiro obrigado.