Arquivo da tag: Esfiha

188- 13) Notre-Dame-Sacré-Cœur-Montmartre-Dame-de-Fer

Estar cansado já não significava mais nada.
Apesar de não conseguirmos flutuar, seguíamos nossa sombra…

Após ter andado o dia todo no maior museu do mundo, lá estava eu a bater pernas pela cidade luz.

Eu simplesmente ignorei o cansaço, bloqueei o estímulo da dor.
Liguei as pernas no modo automático e continuei a jornada.

Foi assim que consegui chegar até a Catedral de Notre-Dame e pude ter um vislumbre do que foi a idéia gótica no seu esplendor.

Formidável imaginar sua história!
1163! É muito tempo!

Contornamos a catedral procurando seus ângulos perfeitos.

Quando li “Um livro por dia – Minha temporada parisiense na Shakespeare and Company de Jeremy Mercer”, tudo o que eu mais desenhava na minha mente era essa catedral.
A Notre-Dame era o cenário mais frequente nas aventuras do jornalista canadense.

Incrível como a Shakespeare and Company ficou escondida no meu subconsciente.
Incrível como eu me esqueci dela quando cheguei no cenário do livro.

Só fui me lembrar da famosa livraria quando o meu amigo Esfih@ perguntou pra mim se eu a havia encontrado.

4 noites em Paris é quase nada, acreditem.
Não dá pra se conhecer a cidade nem por cima.

Paris é muito profunda.
Passar por um lugar a noite e revisitá-lo de dia são outros quinhentos. Quando voltar à Paris, preciso me dar pelo menos 30 dias de férias.

Infelizmente visitei essa região às altas horas, sem a luz do grandioso sol.

Contornamos o Sena.
Caminhamos por lugares que mais parecem sair das páginas dos contos de fadas.

Felizmente a essa hora, a boêmia local criava ali uma atmosfera contagiante.
Os artistas, os aventureiros, os vagabundos e os turistas se confraternizavam de uma forma alegre e descompromissada.

Descobrimos as figuras noturnas. Interagimos com todas elas.

A amiga Gabis tinha lido em algum lugar, que haveria uma festa tradicional em algum ponto da cidade.

Oui Oui, como bons turistas em Paris, topamos peregrinar mais um pouquinho em busca da tal festinha.

Fomos caminhando despretensiosamente por ruas estreitinhas, vielas escuras, calçadas charmosas e quando dei por mim lá estava o mundinho de Amélie Poulain!

Montmartre!

Nessa hora vc precisa tomar fôlego, pq há muito em jogo.
Um filme como esse realmente te faz ver as coisas com mais cor.

Foi quando chegamos a Sacré-Cœur…

… e descobrimos que a festinha seria no dia seguinte.

Mas pra quê festa?
Aquilo ali já era o melhor presente!

Fiquei brincando com a câmera e seus diferentes tempos de exposição.

Ver Paris do alto da montanha de Montmartre é casar-se com a cidade.

Demais, não?

Cadê a Amélie?

Foi quando eu entendi pela primeira vez como seria difícil ir embora de Paris.

E a Lua de Mel vem logo em seguida, descendo graciosamente pela Funiculaire.

O mais legal é comprovar que o seu bilhete diário do metrô serve aqui!

Os amigos suíços demoraram, mas finalmente sentiram o cansaço pesar seus calcanhares.
A Gabis já não conseguia mais andar. Descalçou seu sapatos e foi se arrastando.

Nossa energia ainda circulava.
Afundamo-nos no metrô parisiense e fizemos uma grande bagunça pela esteira rolante:

Separamo-nos dos amigos e corremos até o Trocadéro para registrar a Dama de Ferro com suas luzes dançantes.

Para nossa sorte o metrô fechava mais tarde!
Fizemos a festa e ainda deu tempo de comer crepes.

128- No Japa da Vila Leopoldina

sushi-lamen

Quem gosta de Lamen?

sushi

Quem gosta de sushi?

sushi-guioza

Guioza fresquinho… Hum, que delícia!

sushi-ana

Às vezes lá na Cria, juntamo-nos todos e esticamos alguns minutos a mais na hora do almoço para ir até o Japa da Vila Leopoldina.

sushi-marquinhos-tati

É uma bagunça que só!

Aninha

Comida na boquinha… Hehehe…

Isadora

Almoçar com essas figurinhas é uma das grandes partes do meu dia na Cria.

O duro é afastar o sono depois.
O processador gasta toda a memória ram em digestão, a gente fica lerdo lerdo…

Ps: Isa, obrigado pelo maravilhoso almoço!

83- Velha Cria

Saudades…
Com certeza esse foi um dos lugares mais bacanas em que eu já trabalhei!

Não, não! Não entendam errado!
Ainda estou trampando na Criacittá… e trampando muito…
Só mudamos de endereço!

Trampar com o que a gente gosta são realmente outros quinhentos.
O dia voa, a gente se diverte…
Sem dúvida alguma, trampar num lugar assim é quase como entrar numa nova faculdade. A faculdade da vida…
É se rodear de professores, de professores amigos…

É d+ e eu estou amando tudo isso.

Claro que há pressão, momentos tensos e um volume inacreditável de trabalho, mas isso não impera.
A deliciosa sensação de se envolver com um puta projeto bacana – pois a Criacittá só tem clientes fodásticos – é, além de um fantástico portifólio, uma rotina excitante.

O dia na Aclimação começava bem quente.
O sol já lavava de luz o portão de entrada daquele sítio. A Criacittá da Aclimação tinha cara e tamanho de um grande sítio, com galpões e largas ruas.

No último dia da gente lá, resolvi registrar um pouquinho do que era trampar naqueles galpões…
Era gostoso…

Quando entrei na Cria pela primeira vez, tive a sensação de estar entrando num lugar incrível.

Se existia algo que tínhamos de sobra na Velha Cria, esse algo era espaço.

Cada um no seu quadrado!

Marcenaria no galpão de Marcenaria.

Os verdadeiros artistas:

Pintura no galpão de Pintura…

Isso fazia com que a Criação ficasse lá nos céus…

A gente elevava o espírito todas as manhãs…
Só descíamos para a Terra na hora do almoço e na hora de ir embora…

De tarde, o sol poente encantava as paredes altas do lado de fora da Criação… A gente lá dentro tinha sempre um espetáculo de luzes quando abria aquela porta.

Na parte detrás da Criação tínhamos um solarium…

Hehehe… Na verdade era uma laje bem gostosinha, onde os fumantes iam fumar seus cigarros e os não fumantes iam fazer uma horinha…

De lá, dava pra se ter uma idéia do quão grande aquele sítio era.

A Criação é o coração da empresa.
Fornecemos a matéria criativa que impulsiona todos os outros departamentos.

Minha mesa e meus apetrechos:

Somos todos malucos, é inegável dizer.
Produzimos o dia todo, mas brincamos sempre!

Somos divididos em DAs (diretores de arte e arquitetos que trampam com o Auto Cad), 3Ds (editores, modeladores e iluminadores que trampam com o 3D Studio Max) e 2Ds (os que trampam com Corel Draw, Illustrator e Photoshop)…
Geralmente o chefe do nosso departamento + os DAs fazem um reunião com os outros departamentos da empresa. Então, os DAs fazem reuniões secundárias com o 3D e o 2D.
O 2D cria a textura que o 3D vai usar pra aplicar no projeto… E a simbiose vai se repetindo…

O chefe do nosso departamento é o Mr. Vado.
Ele deve ter o cérebro do Marvin, o robô do Guia do Mochileiro das Galáxias, porque o cara tem o dom.
Por mais que eu diga que ele é incrível, ainda assim não vou conseguir ser justo o bastante.
Além de incrível, fashion e brilhante, o cara é de uma simpatia tamanha.
Puxasaquismos a parte, basta apenas dizer que ele é o cara! É unânime!

A equipe do 2D é pequenina, mas sempre dá conta do recado.

Os 3D são numerosos e estão sempre esperando textura. Eles adoram dizer que temos um D a menos…

O nosso chefe dentro do 2D é o Shorney, meu xará.
O cara é criativo até quando não quer ser criativo.
Grande professor, gigantesco coração, divertido durante todo o expediente, até quando está atolado de trampo…
Sempre solta uma pérola quando menos esperamos…
É o que, junto com nosso amigo Interlandi, compôe os melhores jingles para animar as nossas tardes…
É o que sempre soluça, é o que sempre está cantando, é aquele que tem um brilho próprio, é aquele que compartilha…
É o coração do 2D… Meu amigo.

Temos também no 2D o Super Esfih@ e o Mr. Crow, mestres do Photoshop.
Ficar ao lado deles é como fazer um curso de Photoshop 24hs por dia.
Como se não fosse suficiente, além de ótimos professores, são grandes amigos e valem ouro.
O que os dois tem em comum é a paciência para comigo e uma calma incomensurável.
Além de companheiros absolutos nas brincadeiras e besteiras do dia.

Somos 4, mas somos bem unidos. Isso é muito bacana!

Os malucos do 3D apesar de viverem nos cobrando texturas são bonzinhos também… Vivem falando de jogos e de Direct X, ou de quanto tempo demora pra render uma imagem no Windows 64 Bits, de como o Vista é instável… Hehehe… Nerds total! Mas são todos bonzinhos e grandes professores…

O Alvinho é o velho mais novo da turma. Ele já trampou na Cria no começo dos tempos e agora veio se juntar ao time 3D.
Ele é um dos tantos cariocas da empresa… Na Cria tem bastante gente do Rio.
Mestre da modelagem ginecológica e por bastante tempo professor de 3D, é mestre no que faz e sempre ajuda todo mundo com grandes dicas.
Adora acompanhar o Shorney nas suas canções e jingles. É o maluco mais maluco do 3D e gente finíssima.

O Joe é o mais educado do pedaço!
Outro gigantesco professor de 3D! Dá aula lá naquela famosa escola da Santa Cruz.
Não dá pra não gostar do Joe à primeira vista. E a amizade com ele é sempre progressiva.
AMIGÃO com Caps Lock…
Devorador das famosas pizzas de chocolate que pedíamos nas madrugadas de trabalho.
Ele só tem um defeito, ou melhor, um detalhe: “Jamais dê comida pra ele depois da meia-noite!”…
Ele é quase um Gremlin.

O Ernani é o paizão coruja da turma. Ele é o mais compenetrado da galera, mas quando começa a rir, ninguém consegue pará-lo!
Ele + o Joe são os mestres Jedi da iluminação.

O Edílio é o nosso filósofo!
Sabe discutir pensamentos e seus acréscimos são fundamentais para que o nível de uma conversa seja alto.
Campeão em comer pastéis na feira de Quarta-feira.
Só não é perfeito porque joga Warcraft. Hehehe…

O Edu é o maior barato!
Passa o dia inteiro rindo e nos ensinando inglês.
Está sempre com bom humor e é o que mais me cobra texturas…
Ele adora botar o ar condicionado no talo pra gelar os caras do 2D…
Sua marca registrada é seu capacete!

O Marcelo é o nosso caipira preferido.
Ele com seu cabelinho de rapunzel e seu sotaque forte tiram a concentração do nosso pobre Shorney.
O guri é pentelho, mas no fundo no fundo sabe que é querido por todos… Ou não… Hahaha…
Não tem a menina dos olhos? Pois é, ele é o menino dos cabelos!

A Val é minha companheira.
Estourada, nervosa, bocuda e por isso irresistível.
Nos damos muiiiiiiiiiito bem.
Companheira de almoço, minha professora de 3D, minha puxadora oficial de orelha…
Guitarrista, adoradora de Lost, de Azumanga…
Ela anda sempre com seu PSP, adora baixar filmes e jogos… Grava-me quase todos os programas que eu preciso…
É a que sempre tem algo legal pra me passar via Pen Drive… Trocamos altas figurinhas…
A única representante feminina nessa equipe machista que são os 3D!
Girl Power!

Tem o Reggae Man Sussa!
Com o Sussa tudo tá sempre sussa!
Ele me lembra aquele Tartaruga Pai do filme do Nemo!
Æ, irmão!

Mais um carioca querido.
Filipe salve salve!
O DA mais alegre do pedaço.
O Filipe é aquele cara que conquista todo mundo com seu jeito verdadeiro de ser.
É o maior culpado por deixar o ambiente descontraído.
Suas frases são as que mais arrancam gargalhadas da galera. É o querido mór!

Não dá pra esquecer a Leikaloka, que além de louca é fashion e gosta do Pizzicato Five.
A Leika é tão louca tão louca que superou todos os loucos que eu já conheci até hoje!
Vive gargalhando o dia inteiro… Adora botar musiquinhas doidas pra gente ouvir…
Tem dias que vem vestida com o vestidinho da Minnie, tem dias que vem com roupas futuristas… Independente do seu guarda-roupas, a guria tem estilo e enche os olhos.
Fotógrafa de mão cheia, adora encher a mão de bolinhas gelatinosas pra atirar na galera. Na verdade, algo sempre está voando da sua mão para nossas cabeças.
É a rainha das brincadeiras e tem incorporada em si, os espíritos de mil crianças japonesas!
É a nossa mascote.

Grande Fernando 3D! O cara dos filmes, dos quadrinhos e dos heróis.
Dono de um bom gosto singular.
É o que tem o toque de celular mais discreto da turma: uma rave inteira dentro do aparelhinho!

Interlandi! O mais insano do pedaço!
Seu humor negro é absurdo! Suas facadas são irresistíveis.
Indecifrável… Absoluto!
Do alto da sua torre, observa seus súditos 3D com olhos de corvo!
Figuraça!

Tem também o arquiteto Vilkas, o nosso caríssimo professor de história e o Claudião, nosso inquestionável mestre salve salve!

Renatinha cheia de charme e Tati carioca que não quebra o barraco.

A Eli é admirável não só pela sua graça, mas principalmente por ser firme e profissional sem precisar abrir mão da sua delicadeza.
Fora que ela sabe que eu adoro os termos arquitetônicos que ela usa quando me passa um projeto…
É a que sempre me oferece caronas e que garante boa conversa o trajeto inteiro.
Grande arquiteta, cheia de boas idéias… Adoro trabalhar com ela e ela sabe disso.
Namoradíssima do Shorney. Os dois são perfeitos juntos!

Já a Paulinha carioca exala um pouco da ginga irresistível da garota de ipanema.
Talvez seja aquele sotaque hipnótico que me tira do sério… Hehehe…
Talvez seja essa segurança que ela me passa ou seu jeito descontraído de ser…
Whatever, a Paulinha é aquela carioca que a gente fica imitando o dia todo…
O bacana é que ela é a mestra da paciência, ela entra na nossa brincadeira e se diverte junto!

Uma coisa é certa: estou rodeado por pessoas notáveis, talentosas, agradáveis e especiais.
Cada dia ao lado dessas pessoas é um dia de aula. Um dia como aluno, outro como professor.

Assim os dias vão seguindo, os meses vão passando e quando a gente vê, já se passou o período de experiência…

E isso continuará na Nova Cria se Deus quiser…

81- Presentes De Aniversário (Parte 4)

O melhor presente do mundo que alguém pode receber de aniversário é ser lembrado.

Claro que receber AQUELA surpresa boa em envelope fofo que vem do Japão é sempre especial…

Mas há aquele presente que a gente dá pra si mesmo…

E aquele que a gente recebe sem esperar.

Eu tinha me esquecido completamente que no último dia do mês lá na Criacittá, costuma-se cantar os parabéns para os aniversariantes do mês em questão…

Quando dei por mim, eu já estava no meio da bagunça batendo palmas… Hehehe…

Foi espetacular!

O melhor da festa, além do break durante o expediente, é a qualidade do bolo que a empresa nos dá! Definitivamente não sobra um pedaço, é irresistível!

Toda a minha querida turma da Criação, povo de Produção & Execução e até mesmo os nossos chefões estavam lá cantando parabéns!

Eles reúnem todos os aniversariantes no centro da cozinha e a bagunça começa.

Aproveitei que estava com a câmera na mochila e pedi pro Filipe registrar a comemoração.

Não dá pra imaginar o pique e a alegria que esses criativos tem. É divertidíssimo.

Charmosíssima aniversariante!

Queridíssimo Esfiha e caríssimo Crow:

Fernando filando uma lasquinha do bolo:

Carioca colorido, meninas produtoras e Mr. Maurício:

Grande Shorney, o guri que me atura todos os dias, Loukaleika, Loiralouca e o carioca mais querido do pedaço:

Essa turma é louca. Eles enfiavam bolo na boca e fizeram a maior “esputigama”…

Impagáveis:

A Jennifer eu conheci há pouco tempo e já me apaixonei. Do lado dela a nossa chefinha:

Como o setor de Criação ficava no andar de cima, separado do resto da Agência, a gente quase não conhecia as meninas da Produção, Execução e RH. Por isso, no último dia do mês, nessas festinhas animadas, a oportunidade era imperdível pra fazer uma social.

Foi a última festinha da Criacittá na Aclimação!