Arquivo da categoria: Introspective

166- De Molho

Folga de Ano Novo

Preciso sarar!
Tá loco!

Piriri num dia, febre no outro, dor de cabeça e agora garganta?

É assim. Fico um tempão sem ter coisa pra fazer e quando começam a se aproximar dias importantes, batata…

Muita coisa pra se planejar, a cabeça tá um turbilhão, o corpo não acompanha.

Infecção intestinal!
Ainda mais essa! Puta merda!
Dr. falou que isso não se cura assim.
Dá-lhe antibióticos!

Canja de galinha!
Ahhhhhhh! Odeio frango com gosto de frango.
Frango pra mim tem que ser processado, batido no liquidificador, transformado numa massa homogênea, modelado em nuggets…

Academia?
Não sei mais o que é isso…
Tava feliz da vida treinando, alguns resultados começando a aparecer… No outro dia descubro que não estou mais na lista da academia. Simplesmente não tenho mais perfil. O pior é que sem perfil, não há como gerar a impressão do treino com todos os meus exercícios e cargas.
Tenho 79 dias de bônus e não sei como utilizar ou quando utilizar, já que vou praticamente passar boa parte do mês de Outubro fora.

Acho que é essa finasterida que estou tomando e que está me deixando maluco.
Sério, estou completamente perturbado. Hehehe…

Computador acusou Trojan…
Houve alagamento lá no trampo…

Sim, tô um pouquinho zicado.

Japonês tá difícil pra cacete. Nem parece japonês aquilo lá, só tem leitura chinesa.
Odeio as segundas leituras dos kanjis. Parece que estamos falando tudo, menos japonês.
Preciso marcar três aulas que ainda não perdi e uma prova substitutiva que não tem nem previsão de acontecer.
Descobri que esqueci de devolver um empréstimo da biblioteca desde Junho de 2009 e por mais que eu lembrasse, eles não lembravam.
O ruim em ser honesto, é que vc sabe que vai se ferrar com a multa, mas tá no sangue, vc não sossega, não desliga. Herdei esse gene do meu velho, honestidade fala sempre mais alto.
A tiazinha demorou quase o intervalo inteiro da aula de japa pra fazer a conta da multa.
Incrível como eu me senti melhor, mesmo deixando um cheque gordo para pagamento.

Bem, eu abro mão de Setembro.
Agosto foi perfeito e Outubro sim, vai ser um mês de grandes experiências e de inesquecíveis recordações.

Engraçado que falo isso como se já tivesse acontecido.

Outubro é mês de férias.
London, Paris, Berna, Genebra, Zermatt, Chamonix, Interlaken, Venice e Rome!
Na busca pelo sagrado nada pode dar errado!
Dessa vez eu vou reencontrar a Europa que eu tanto almejei!

Anúncios

139- КРИКАЛЁВ

space-station-05

Quando fui ao Shopping Bourbon dias atrás, vi que o Cinema Imax de lá estava com o Space Station 3D na programação.

Oras pois, não era esse documentário que mostrava algumas cenas do grandioso Sergei Krikalev?
Fiquei com aquilo guardado na mente.

space-station-09

Meus ídolos sempre são incomuns.
Nomes desconhecidos, capacidades singulares, feitos memoráveis.

space-station-06

São poucas as pessoas que desejo conhecer pessoalmente.
Mr. Sergei Krikalev é definitivamente uma dessas poucas pessoas.
Com certeza a conversa seria muito interessante:

***Sergei Krikalev***

Poucos são tão sábios.
Poucos presenciaram tantas panorâmicas como essas.
Esse senhor deve ter muitas histórias pra contar.

space-station-07

As viagens espaciais sempre me encantaram.
Sonhei ser astronauta por toda a minha infância.
É um sonho recorrente. Tenho até hoje.

space-station-03

Basta subir um pouquinho mais alto, em algum lugar um pouco mais elevado, que já fico reparando na curvatura do horizonte.
As alturas me fascinam.

space-station-02

Subir, subir, subir…
Romper as diferentes atmosferas.
Fazer o azul claro do céu diurno transformar-se no infinito negro do espaço sideral…

Que garoto em sua infância nunca sonhou ir até à Lua?

Que garoto, hoje homem, pode gabar-se em dizer que realizou esse sonho?

É muito mais que ganhar sozinho o maior prêmio da loteria.

A questão é, por mais que sejamos formidáveis, inteligentes, superdotados ou capazes, ser astronauta, e ser um bom astronauta, que vai pro espaço uma vez e volta uma segunda, terceira vez, é ser um pouco divino.

É isso o que faz desse senhor de quase cinquenta anos, ser meu grande ídolo.

Fui nesse domingo gay lá no Imax do Bourbon conferir esse documentário.
Apanhei os óculos 3D, algo pra beber e um pacotinho de pipoca e entrei numa máquina do tempo.

Senti minhas pernas encolherem, de modo que ficaram a balançar na enorme poltrona do cinema.
Havia sofrido mágica.
Deveria estar com uns 5 anos.

A tela de quase 21 metros do Imax se encheu de imagens dos meus sonhos recorrentes.
Que experiência fantástica!

Acompanhei o ídolo da Terra ao espaço.
Mergulhei nas panorâmicas.

Sou uma dessas pessoas que jamais se esquecem o lugar mais distante por onde passaram.
Sou uma dessas pessoas que gastam horas admirando as estrelas do céu.

Era aquela criança que numa viagem de carro, deitava a cabeça pra trás pra ver as luzes dos postes lavarem a escuridão de luz.
Era aquela criança que deixava a alma amarrada nos lugares que nunca mais iria voltar e chorava por eles.

Sempre cheguei antes nos lugares, mesmo sem conhecê-los.

De tanto imaginar o fim do universo, o limite do mundo, já entrei em parafuso.
Consigo enxergar microscopicamente os fragmentos de poeira que estão grudados no meu globo ocular.
Vejo cores quando fecho meus olhos. É como tv fora do ar. Existe um ruído elétrico que preenche todo o meu campo de visão, mesmo quando estou de olhos fechados.

Sinto o ar passar da garganta para dentro do ouvido.
Consigo liberar alguma substância na minha medula com um simples pensamento, e ela percorre o meu corpo como um arrepio. Dever ser adrenalina…

Deveria ter sido astronauta, mas como sou ruim com a Matemática.

Já escrevi crônicas sobre a minha viagem até as alturas.
Sonho estar voando baixo.

Todos esses pensamentos vieram a mente durante o documentário.
A experiência tridimensional mexeu com todos os meus sentidos.

Vi o ídolo irradiante de felicidade, despedir-se dos seus queridos.

Aquela neblina no Cosmódromo de Baikonur era alienígena.
A força da propulsão dos foguetes de lançamento arrepiaram os pêlos do corpo.

O homem é formidável.
Atinge o céu.
Ultrapassa-o.

Ver o planeta lá de cima é um exercício de humildade.

space-station-01

Não há fronteiras entre os povos.
Dá pra mensurar o tamanho do estrago que a mão do homem faz.

Impressionante a vida lá em cima na Estação Espacial.
Incrível reparar como todos trabalham com um sorriso estampado no rosto.

space-station-04

Bah, preciso voltar lá no Imax e levar algumas pessoas fundamentais.
Por mais que aqui escreva, não vou conseguir chegar nem aos pés do que foi essa experiência tridimensional.

Ps: Sergei Konstantinovich Krikalev (Сергей Константинович Крикалёв) (Leningrado, hoje São Petersburgo, 27 de agosto de 1958) é um cosmonauta russo e um dos maiores veteranos do espaço, integrante de sete missões espaciais soviéticas, russas e norte-americanas e habitante, por duas vezes, da Estação Espacial Internacional e da estação espacial russa Mir.

space-station-08

Tem o apelido de ‘último cidadão da União Soviética’, pois na virada de 1991-1992 ele passou 311 dias a bordo da Mir, enquanto a URSS se desintegrava em diversas repúblicas na Terra. Foi ao espaço como soviético e retornou russo. Ele é também o ser humano com mais tempo passado no espaço, num total de 803 dias 9 horas e 39 minutos.

134- Eu Queria

Eu queria o PS3.
Agora que já o tenho, quero créditos na PSN para comprar os downloads dos jogos digitais.

Eu peguei o PS3 com Uncharted e Metal Gear Solid 4.
Não precisava de outros jogos… Pelo menos não por uns bons meses.

Nem percebi e já estava com Little Big Planet e Resident Evil 5!

Lá fui eu pedir o cartão internacional da minha velha pra carregar alguns dólares no Entropay.
Ligaram de lá do banco dela:
“- Senhora Claudete está em casa?” – disse a voz ríspida pelo fone.
“- Mãeeeee, telefone!” – gritei.
“- Dona Claudete, está sendo feita uma compra neste exato momento com seu cartão internacional, a senhora autoriza?”…

Hehehe…
Minha mãe adorou saber que qualquer transação com seu cartão internacional vai ser notificada.
Já eu…

Pois é, cheio de joguinhos e demos e lá fui eu gastar os dólares que havia acabado de carregar no Entropay.

Essa lojinha online do PS3 é maldita!
Vc fica horas se divertindo com centenas de novidades, downloads de demos e é claro, com o comércio digital de games para se fazer download.
É o futuro! Com um único clique e alguns minutinhos de download wireless e vc já está jogando no conforto do seu sofá… digo… cama, no meu caso.

Para nós brasileiros, ainda é um pouquinho complicado.
Não basta ter um cartão internacional para se comprar, é preciso ter um endereço ativo americano.
Por isso uso o Entropay. É um cartão virtual mediador entre essas transações.
No começo é complicado, mas depois fica fácil.

Comprei Locoroco.
Comprei Lumines.
Comprei Echochorme.

São bem baratinhos. U$7, U$10…

Tô de olho no Burnout Paradise e Wipeout. Mas vão ficar pra depois que meu grande amigo comprar o PS3 dele!

Vc vai encontrando os amigos online e vai percebendo que vc precisa de um headset pra conversar com eles enquanto joga.
Tá, acho que um headset seria demais pra alguém assim como eu, que foge de ligações telefônicas como o diabo foge da cruz.

Comprei um teclado pra conectar ao PS3.
Facilita a comunicação em jogos como o Little Big Planet, onde comunicar-se bem é a chave da diversão.

Vc percebe que tá na hora de investir num Home, pois jogar numa puta tv, com o áudio conectado ao velho aparelho carrossel de cds cuja bandeja não funciona mais e que só serve de entrada auxiliar já não é mais suficiente.
Pero, se vc gastar seu suado dinheirinho num Home, tem que ser um que valha a pena! Comprar porcaria nem a pau Juvenal…
O jeito é acabar deixando pro futuro…

Vc descobre que seu curso de japonês está acabando e vc precisa fechar novo contrato.
Mais $$…

Lembra-se daquelas aulas de piano e teclado que vc estava sonhando, faz uma visita nesses sites de compra pela internet e não se decide sobre qual comprar, pois vc quer conectá-lo ao Pc para fazer música.
Espera colecionar mais informações sobre a compra certa, mas esquece de perguntar pra quem entende.
Esquece-se da mesa de som que tanto almejou, fundamental para capturar a voz da sua avó, jogar no sampler e fazer remixes…
Ah, minha avó!

Vc se lembra de tantas coisas e esquece até de passar na casa da sua avó aos finais de semana, mesmo sabendo que a pobre velhinha fica sempre te esperando passar por lá pra dar um beijo, falar um pouquinho de Telesena…

Cachorro!

Trabalha safado!
Se mata!
Perde academia.
Desiste de vida social.

Trabalha!
Dia e noite.
Noite e dia.

Não fui à academia na Quarta, Quinta, Sexta e Sábado.
Caraca! Sempre me esqueço que tenho academia aos Sábados!

E o pessoal do trampo ainda quer que eu participe das festinhas de aniversário e frequente os mesmos bares.
Bah, tô véio! Não tenho tanto pique assim.

Lançam o novo Guitar Hero e lá vai o João querer uma guitarra sem fio pra jogar essa porra! Hahaha…
Quero uma guitarra!
Puta merda, quero uma guitarra do Guitar Hero!

Na verdade não posso comprar a guitarra porque meu celular, aquele branquinho, que tinha wallpaper do Katamari e tocava musiquinhas e toques personalizados, não quer mais carregar! Tá morrendo!

Se eu comprar a Guitarra do Ps3, vou ter que comprar o joguinho também…
Na verdade, se eu não comprar a Guitarra do Ps3 eu posso investir num Black Berry e ter o meu próprio tecladinho no meu celular para mandar mensagens…

Anunciam Katamari pro PS3! Guenta coração!
Mostram Project Trico! Puta merda!
Na verdade, a escolha pelo PS3 foi unica e exclusivamente por causa desse novo projeto do time da Sony.

Nem bem vejo que as minhas férias já estão batendo a minha porta.

Llao Llao.
Doce Doce.
Essa era a idéia.
Com a companhia especial…

Mas ela não quer ir…
Na verdade não pode…

Vou só?
Fico?

Bah, já não sei de mais nada.
Queria subir até a ponta do Brasil e mergulhar de cabeça até o fim do mundo.

Não, não. Não é suicídio! É Ushuaia mesmo!

Quero assistir o novo concerto dos PSB na Europa.
Quero voltar pra Europa.

Na verdade quero jogar Ps3 e nem isso eu consigo direito. Hehehe…

Faltei de novo na academia.
Bosta!

Corri pra casa pra ligar o pc e perdi a viagem. Quem eu queria no Msn não estava mais lá…
Oh dureza de encontros e desencontros. Hehehe…
Na verdade adoro isso. Vivo de msgs offline.
Nada substitui a presença física, mas ter msgs inspiradoras todo dia é um presente sem preço.

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh, que vida mais gostosa de ser vivida.
Falta tanta coisa, mas está mais completa do que nunca!

Falta uma janela. Falta aquela Room With A View.

Preciso de uma porta pra fechar a sala, preciso de um box para colocar no banheiro, preciso de um rack de inox para abrigar o videogame, uma mesinha nova para o computador, uma cadeira com rodinhas…
Preciso de duas ponte aéreas por mês.
Preciso de um boné novo.

Preciso fazer como a Inês me ensinou. Tirar uma foto de tudo o que preciso, de tudo o que quero e focalizar… Hehehe…

Precisar, querer, desejar, almejar.

Tenho muito mais do que preciso, isso é fato.
Lucky bastard!

Aliás, esse post é só pra me lembrar de que preciso de férias!
Alguém quer ir esquiar æ?

125- Estes Dias

Those days…
Um filme, um presente, uma conquista, uma música, um amor, uma língua, um coração machucado, um momento, uma data especial…

Minha vida nunca esteve tão deliciosamente atribulada.
Sem tempo para gastar como deveria com os que amo. Desculpem-me.

Saudades é a palavra da vez.
Às vezes, a saudade é tanta e por coisas tão simples, que não sei explicar o porquê de me sentir assim.

Sim, sinto saudades inexplicáveis…
Estou apaixonado pelas coisas comuns, pelos pequenos detalhes que passam invisíveis aos muitos olhos.
Os meus se focam precisos nessas vírgulas e pontos de um todo. Quase nunca visualizo o macro, apenas pedaços perdidos…

Sinto saudades de assistir tv com minha irmã.
Sinto saudades de jogar Ds com os amigos.
Sinto saudades dos que já não cumprimento mais.
Sinto saudades daqueles que ainda não desistiram de mim.
Sinto saudades daqueles que já se foram.
Sinto saudades de bater papo cabeça nas altas horas da madrugada.
Sinto saudades de ao abrir os olhos pela manhã, compreender que dormi fora de casa…

Estou realmente diferente.
“In love” pela poesia da vida.

Emocionando-se descontroladamente com replay de filmes famosos e que já não são tão surpreendentes assim.
É como se fosse a primeira vez que eu os visse e estivesse dez vezes mais emocional.

Presentes? Quase todos os finais de semana…
Aprendi que mais legal do que ganhar é dar e que receber, é literalmente um dos maiores presentes na vida.
Claro que dar presentes é bem mais legal se vc não seguir uma data específica, regras ou cobranças.
O presente perfeito precisa seguir quatro passos fundamentais: ser sempre intuitivo, descompromissado, por impulso e o mais importante dentre todos, ter a cara da pessoa a se presentear.

As pessoas que escolho pra presentear também são singulares.
Às vezes, elas nem fazem parte da minha vida, são apenas viajantes passageiros que pincelam tatuagens na minha pele, mas que de alguma forma são peças fundamentais para minha iluminação.

Ah sim, também me dou muitos presentes e isso também é bem legal.
Bacana ter o poder de se mimar um pouco.
Isso só não pode ser maior do que os planos futuros… Ah, isso não!

O trabalho consome muitos neurônios, mas sem sombra de dúvidas é a minha maior conquista.
Estar naquele ambiente com aquelas pessoas é antes de tudo minha prioridade número um.
Conquisto um pouquinho mais de espaço a cada dia que resisto, que persisto.
Sacrifico muitas coisas para estar ali e acredito que esse é o melhor caminho a se seguir.
Não há preço que pague a satisfação e o orgulho em ver seu trabalho produzido.
É a melhor faculdade que eu poderia imaginar ganhar, levando-se em consideração que ainda sou pago pra isso.

Air, Aya, Beck, Cyndi, Lady Gaga, Lily, Pet, Tina, Utada…
Qualquer hora é hora pra plugar música à alma.
Seja no trem indo pro trampo, seja nas altas horas da madrugada numa crise de notívago.

Meu amigo clarinho de 120 gigas sempre está comigo.
Ele é infalível e nunca me deixa na mão, apesar de estar a todo instante na palma dela.
Levo minha trilha sonora para todos os lugares. Influencio e chateio as pessoas por onde quer que eu passe.
É mais forte que eu. É a minha marca registrada.

Alguém…
Alguém tão especial que sangra o coração…
Mais presente do que muitos que estão ao meu lado…
E ainda assim um Brasil inteiro de distância…

Preocupação…
Respeito…
Confissão…
Admiração…
Amor…
Paixão…
Amizade…

É tão fácil quando é recíproco, que todas as dificuldades se perdem no caminho.

Falta muito pra se tornar uma árvore com copa formosa, mas quando se tem bom solo e boa luz, as folhas se multiplicam e o crescimento é progressivo.
Por mais que as formigas insistam em cortar e picar, por mais que o vento seja forte a soprar… A arvorezinha vai criando raízes profundas, base e estrutura para finalmente se projetar acima do solo…
Não adianta apenas crescer por baixo da terra… No subsolo ninguém consegue te contemplar.

A cada aula, novas palavras.
É como voltar a ser criança.
Aprender e se especializar num idioma diferente do seu é ousar-se por pensamentos e imaginações que estão um pouco além do nosso padrão.
É fazer parte de um outro mundo estando no seu próprio território.
É desplugar-se da rotina e embarcar numa viagem de ponta-cabeça. É recomeçar, reestruturar-se, pensar sob uma perspectiva diferente…
É sonhar atingir um lugar distante e exótico. É o primeiro passo para realizar esse sonho.

E quando se tem a verba, quando se desdobra o tempo e quando se obtém a vontade, falta o coração.
Descobri da forma mais bizarra que a ignorância é sábia.
Foi no meu teste de resistência na esteira da academia, que descobri que meu coração precisava ser estudado com mais cuidado.

Tudo bem, fé e um pouco de confiança são bons amuletos, assim como menos colesterol e um copo de vinho são bons remédios.
Vai dar tudo certo.
O chato são os exames que não acabam mais.

Tá vendo?
É só começar a usar o bichinho que ele dá pane.

Oh, Wizard Of Oz, preciso encontrá-lo para um pedido! Fada Branca, mostra-me o caminho dourado…

Tantas coisas pra falar, tantas impressões para registrar…
Novos amigos, novos games, novos trabalhos, novas perspectivas, novos objetivos, novos sonhos…

Chega logo feriado! Chega logo!

Por enquanto ainda estou sem previsão de internet em casa.
Estava com 8mb de Virtua da Net, feliz da vida, quando descobrir que os quase 700kbps que eu usava pra navegar, não eram os mesmos que eu usava pra baixar arquivos no Torrent.
O Virtua faz o famoso “Traffic Shapping” em programas P2P como o Utorrent e o BitTorrent.
Os 700kbps caiam pra 20kbps quando eu abria o Torrent.
Imaginem baixar o último episódio de Lost, com milhares de Seeds e Peers com apenas 20kbps de velocidade!

Voltei pro Speedy sem pensar muito. Pelo menos ele nunca havia dado problema com o Torrent.
O problema é que já estou há mais de um mês esperando o sinal do Speedy chegar e nada.
Já recebi dois kits de modem e ainda não há previsão da liberação do sinal.
É mole ou quer mais?
Justo agora que eu comprei uma Web Cam bacanuda!

O PS3 até consegue encontrar uma conexão wireless aqui na minha sala, mas falta a chave… Hehehe…

Ufa! Acho que falei sobre tudo.
Tava precisando escrever.
É bom botar os pensamentos e acontecimentos em palavras. Dá pra enxergá-los fora da mente.

Ah sim, o momento ainda está pra acontecer.
Nem que para isso eu tenha que arrancar todos os dentes, mas vai ser fantástico, eu sinto.

Já a data especial aconteceu dia 28 de Março: o níver do meu velhinho.
Acho que fazia mais de vinte anos que eu não ia com meus pais e minha irmã à pizzaria.
Precisamos repetir mais vezes. Foi extremamente agradável.

E por último, num desses domingos de muito sol, convidei minha mãe para ir até o Shopping Eldorado ver uma vitrine de Faber Castell que eu ajudei a criar.
A dita cuja já não estava mais lá, mas valeu a ida com a minha velhinha para botar o papo em dia e almocarmos despreocupados naquela gostosa praça de alimentação.
Cruzar a cidade num domingo é realmente um programa calmo e tranquilo.
Na volta, passamos pela padaria Bella Paulista. Compramos aqueles deliciosos pães doces. A Liberdade a gente deixou para outro dia.

Ps: A primeira foto foi tirada pelo garçon na Valpolicella. A segunda foi dentro do Eldorado:

pai-birthday