72- Sakura No Horto

E lá fomos nós para o IV Festival da Cerejeira no Horto Florestal.

O domingo não poderia estar mais belo. Aquele típico clima fresco de Julho, aquele céu azul, sol dourado…

O Horto Florestal é um ótimo lugar para abrigar um Festival desse tipo, porém, os organizadores não contavam com tanta gente. As barracas de comes & bebes não deram conta do tanto de visitantes.

Os amigos, apenas os voluntários do Koshukai.
Programa pra levar mãe e pai.

Subimos até o Arboreto.
A florada da cerejeira podia ser apreciada ali.
Meus pais piraram!

De todos os lados, as pessoas com suas máquinas faziam poses e distribuiam sorrisos.
As 50 sakuras plantadas pareciam despertar nas pessoas uma felicidade inexplicável.
Meus velhinhos jardineiros se revigoraram com aquele portal florido sob suas cabeças.

Para aqueles assim como eu, que acreditam na lenda da princesa que caiu dos céus sobre uma cerejeira – de que Sakura é uma modificação do nome Sakuya, proveniente da princesa Kono Hana Sakuya Hime, a qual os japoneses veneravam no topo do Monte Fuji – estar rodeado por tanta beleza e magia, parecia mais ser presente dos deuses.

No caminho de volta, meus jardineiros compraram uma muda de esperança. Um pequeno pé de possibilidades.
Não resisti a brincadeira entre a sombra e a luz. Os raios do sol pareciam fazer cócegas entre as folhagens das altas árvores do Horto.

Ainda comemos um ótimo Yakisoba.
Meu pai, após ficar quase uma hora na fila do Tempura, encontrou-se conosco.
Compramos aquele famoso suquinho de soja, Muppy e provamos o tal Karepan.
Claro que não deu pra evitar a Melona de melão, porque a de banana estava esgotada.

Tiramos muitas fotos, andamos muito.
Visitamos o museu da madeira, percorremos todos os caminhos verdes, circulamos o lago…

Quando o sol já ia caindo lá no horizonte e o som do Matsuri ecoava longe, fraco, deixamos o Horto e seguimos caminho Cantareira acima.
Ainda tive a sorte de encontrar o Mr. Zeh (Ber’s friend) na saída do Horto. Ele e sua turma estavam chegando enquanto íamos embora. Grande Zeh!

Se acertaram em trazer essa grande festa pro Horto, um lugar arejado, amplo, verde e cheio de paz, esqueceram de pensar melhor no transporte.
Voltar pra casa by bus foi quase uma piada de mau gosto.

Quem ainda não apreciou as sakuras, tem até o dia 29 de Julho para fazê-lo.
A entrada é gratuita e a satisfação também não tem preço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s