47- Tigarah, Dia 2

O segundo dia começou bem cedo, quase de madrugada.
A imagem da senhorita tigresa distribuindo bottons para seus fãs ainda circulava em meus pensamentos.

Pulei da cama com um plano: um projeto de último momento.
Eu podia vê-lo pronto na minha mente. Ficaria legal, mas tomaria muito tempo…
Eu precisava pelo menos tentar…

Rapidamente comecei a rabiscar algumas folhas, desenhar algumas idéias e muitas horas depois consegui criar a capa do cartão que eu entregaria pra Yuko-chan como forma de agradecimento.

A idéia era fazer uma japa-baiana com kimono e turbante à la Carmem Miranda na cabeça, pra celebrar essa fusão do Brasil-Japão.

Decorei o kimono com motivos da bandeira dos dois países e preenchi todo o espaço em volta com traços abstratos.

Quando fui assinar Tigarah, comecei a fazê-lo em hiraganá e depois passei pro katakaná! Não sei o que houve comigo!
Sim, eu havia errado e não daria pra recomeçar! Nomes estrangeiros são sempre escritos em katakaná, mas não havia tempo pra consertos! Era consertar e perder o concerto.

Tentei imaginar uma explicação. A única que encontrei foi que esse “Ti” poderia remeter a “Tiisai” ou “Chiisai”, pequenina.
É, pequena tigresa até que tem a ver. A Yuko-chan é pequenina, mas poderosa!
Assinei meu nome, anotei e-mail, site, MSN…

A parte de dentro foi um pouquinho mais complicada.
Queria transcrever a letra de uma música dela em japonês.
Pra mim, não há coisa mais gostosa do que escrever em japonês.
Escolhi Girl Fight!

A carta (tegami), eu iria escrever em inglês.
Já tinha até começado a escrevê-la, mas foi quando meu amigo Storm!, que mora no Japão, apareceu no MSN…
Não pensei duas vezes, perguntei se ele topava me ajudar na tradução da carta pro idioma japonês e ele me ajudou sem pestanejar. Traduziu tudo sozinho. Valeu, Storm!

ユウコさん へ

私、ジョンと申します。ブラジルにようこそ!

あなたに会えてそして、コンサートに行ったことを一生忘れられない出来事です。本当に幸せでした!
私はイラストレーターですので、ユウコさんのアルバムのカバーアートを是非!っと本気で書きたいと思います。
ユウコさんの曲を毎日聴きたり、パソコンでリミックスしたり、いつか一緒に歌えるように夢でもみています。
日本語あんまりわからないので、日本にいる友達に頼まれて、この手紙をかいています。すみません!近いうちに日本に行けるため、日本語の勉強をしています。

ユウコさん日本に帰ったら、メールのやりとりしましょう!コンサートで歌った新曲も送ってください!おねがいします!

これからも頑張ってください!

応援しています!

ジョンより

O conteúdo da carta ficaria mais ou menos assim em português:

Yuko Takabatake

Eu sou o John.
Muito prazer em conhecê-la.
Seja bem-vinda ao Brasil.

Eu quero dizer que adoro o seu trabalho e que estou muito feliz em poder ver seus shows.
Sou ilustrador e gostaria de poder criar um desenho para a capa do seu álbum.

Eu também gosto de remixar suas músicas e gostaria muito de algum dia poder cantar com vc.

Espero um dia ir para o Japão, por isso estudo um pouco. Mas não consigo escrever tão bem assim, meu amigo no Japão, Kaminishi, está me ajudando com este texto.

Gostaria muito que vc me mandasse um e-mail pessoal para mantêrmos contato.

Por favor, me envie as músicas novas que vc cantou no show.

Sucesso,

João.

Eu estava atrasadíssimo.
Não esperei nem a tinta secar. Bati algumas fotos, botei o dito cujo dentro de um plástico transparente e voei pro Sesc.

Cheguei lá e acampei no 5º andar.
Aqueles monitores e produtores maravilhosos do Sesc que já viam em mim alguém familiar, permitiram novamente que eu ficasse por lá durante a passagem de som.

Bah, mal pude acreditar na hora que vi a Tigarah, pois quando ela sobe ao palco, não há nem vestígio da Yuko-chan. Ela se transforma, ganha poderes!
A Tigarah tava com aquele seu uniforme brasileiro verde-amarelo curtíssimo. Estava linda!
Assim que me viu, me cumprimentou, passou umas três músicas com o DJ Yugo pra testar o som e poucos minutos antes de liberarem o público, me chamou lá no camarim.
Pude finalmente entregar o cartão.

Só quem viu e ouviu ela falando português pode entender o quão simpática ela é.
Deu-me um abraço e me beijou de novo, agradeceu, disse que o desenho era kawaii, passava a mão em cima dos ideogramas e não conseguia acreditar que eu tinha feito tudo aquilo em tão pouco tempo.
Eu disse que tive ajuda do amigo Storm! através do Messenger e ela quis saber todos os detalhes.
Falei sobre meu interesse em ilustrar algum futuro projeto dela. Capas para cd, logos para T-shirts, esse tipo de coisa.
Agradeceu-me em japonês, fazendo aquela típica reverência e eu fiquei muito encabulado.
Foi uma batalha de agradecimentos.
Ela me agradecia pelo carinho, eu a agradecia pela simpatia, pela paciência.

Sai do camarim meio atordoado.
O povo já havia dominado os melhores lugares do palco.
Contentei-me com o que havia sobrado.

De repente, começa a chover conhecidos: Griffith, Jun, Ber, Cauuuuuuuuuuuuu!!!
Pirei! Pirei!
Não conseguia me conter de tanta felicidade.

O segundo show foi mais poderoso ainda que o primeiro.

A japa já estava bem familiarizada com o palco, com aquele público aos seus pés.
O som estava muito mais nítido, assim como a voz estava mais alta.

Dessa vez tinha muita gente pra dançar comigo. A festa foi geral.

Eu acabei esquecendo de tirar fotos de novo. Não tem jeito. Eu realmente mergulho de cabeça e se não fosse o Griffith filmar e fotografar, eu teria apenas uma ou duas fotos desse show.

Mesmo tendo consciência de que eu deveria aproveitar cada segundo, o show voou mais uma vez.
Quando estávamos pegando fogo, já era hora do Bis.

A japa foi ovacionada.
Rapidamente ela deixou o palco, deu a volta pelo camarim e apareceu no meio da galera pra entregar os bottons!

Que carisma!
Era impossível resistir àqueles olhos doces e aquele sorriso brasileiro.
A japa mais uma vez se mostrou atenciosa com todos os tipos de fãs: dos mais comportados aos mais escalafobéticos. Posou para todas as câmeras, abraçou todos os fãs, deu todos os autógrafos possíveis, conversou, distribuiu mais bottons e se despediu.

Até o Criko eu encontrei por lá.

Fui apertar sua mão para me despedir e ela me puxou pra um último abraço.

Disse-lhe apenas “Mata ashita” (até amanhã) e ela arregalou os olhos surpreendida:
-Ashita mo? (vc vem amanhã tb?)
-Of course! – respondi!

A noite acabou mais uma vez no restaurante italiano. Dessa vez nada de panquecas, eu fui de Zucotto e o Mr. Ber de torta de limão.
Discutimos os dois shows e ficamos imaginando como seria o último dia.
Mais uma vez quase perdi o horário do último metrô!

Continua…

3 Respostas para “47- Tigarah, Dia 2

  1. Caramba João, que criatividade a sua com o cartão, tu tem talento rapá!
    Tigarah linda linda linda s2!

  2. Tira isso dai Joao… lol… eu escrevi voando qd vc disse q nao tinha tempo…

    E kd o video de vcs dancando?? KD??? E eu pensando q iria dar boas risadas hj… droga!?

    T+

  3. Oi João! Que pique! Muito bacana você contar os detalhes do show da Tigarah! Tem uma foto sua no blog do Nippo-Jovem. Veja em http://blog.nippojovem.com.br/! Bjs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s